30 de abr de 2008

pág. 09

11. INT. SALA. CASA - DIA

Grandes janelas deixam entra luz solar projectada em metade da sala.

Thomas está pousar o telecomando no sofá onde está sentado.

Está com aspecto diferente, com fato e gravata mais pálido que há 12 anos atrás.

THOMAS

Morre porco velho. Morre longe. Fica no espaço e não voltes.
Rita?

RITA

[Responde de outra divisão] Que foi?

THOMAS

O Lorenze foi apanhado na TV, novamente.
Acabei de o ver em directo numa entrevista.

RITA

[Responde de outra divisão] Esse monstro falou de nós?

THOMAS

Preferia que não, mas sim, falou de nós. Ele disse que afinal éramos funcionários da Lorenz Inc.
Devíamos tê-lo morrer de cancro na altura.

Rita entra na sala onde está Thomas com um vestido preto e apertando o colar.

RITA

Estás pronto? O táxi já lá está em baixo.

Enquanto Rita ajuda a acertar o colarinho de Thomas toca o telemóvel

Quem será a esta hora? Atende a caminho do elevador, se não vamos chegar atrasados à casa do meu irmão.

THOMAS

Deixa ver quem é. Está? Quem fala?
Moe?!

RITA

O Moe?

THOMAS

Faz anos que... Sim, diz. Não, está aqui comigo, sim ao meu lado. Mas calma Moe, que se passa? Como? Não é possível. Sim, sim nós vamos a caminho.

Thomas desliga o telemóvel e Rita chama o elevador.

RITA

Que cara é essa querido? O que se passa com o Moe? Estou a ficar assustada.

THOMAS

Não vale a pena mentir-te. Começa a ficar assustada, a coisa é séria. Vamos ter com Moe agora em frente à sede da Lorenz Inc.

Thomas carrega no botão para fechar as portas do elevador.




Um comentário:

Anita* disse...

)...( quem se perdeu fui eu ;) LOLOLLLL