12 de mai de 2008

pág. 11

13. INT. CASA DE MOE - DIA

A sala está escura, pouca luz se vislumbra entre os cortinados fechados. Moe entra, afastando coisas do chão, para deixar Rita e Thomas passarem.

MOE

Desculpem o aspecto da coisa, mas faz tempo que dispensei a empregada das limpezas. Houve um dia que ela passou um pano com detergente na minhas placas de vidro com cultivo de bactérias. Foram meses de pesquisa deitados fora.

Moe despe o roupão e coloca-o no sofá cheio de roupa usada.

RITA

Moe vais ter que parar com isto, tu não podes continuar a viver assim no meio desta porcaria. E o que foi feito da tal amiga que foi jantar contigo há uns meses?

MOE

Quem? A Joana? Não sei ao certo. Acho que passei o jantar a falar de coisinhas muito pequenas, e devo tê-la assustado um pouco. Coitada. Mas acabei por ter mais tempo para provar as minhas suspeitas.

RITA

Que são?

THOMAS

O Moe explicou-me um pouco por alto ao telefone. Acho que é melhor sentares-te.

Thomas olha para os lados

Bem, em algum sitio.

RITA

Parem lá com tanto suspense, já enerva. Vá. O que se passa com os "nanoides"

MOE

Eles estão à solta. Livres e incontroláveis.

RITA

Mas como é isso possível? Eu lembro-me perfeitamente dos resultados do nosso trabalho, e sei que nunca cometemos erros na avaliação...

THOMAS
Eles conseguiram autorestabelecer-se, por assim dizer. Eles para além de resolverem 99,5% dos males do hospedeiro, conseguiram resolver os seus próprios males e defeitos. Um tipo de Upgrade pelo que percebi.

MOE

Também não foi assim tão simples, Tom. Nós quando os criámos não estávamos errados, nem fizemos merda... Desculpa Rita.

Moe tira os óculos, e limpa as lentes na t-shirt com uma estampagem da branca de neve da Disney.

O velho quando levou o projecto para o laboratório dele, aliás, quando "roubou" o projecto, deve ter tido uma equipe que ao seguir a criação dos "nanóides" alterou o nosso original! Deu mais poderes ao que eles tinham. Assim eles ganharam mais capacidades do que necessário. Uma delas é poder sobreviver fora do corpo do hospedeiro humano, podendo viajar pelo ar para outro hospedeiro.
Neste momento é uma nuvem invisível, sem se saber por onde andam...

THOMAS

Mas pode nem ser assim tão mau quanto parece, as pessoas vão ter acesso à cura do cancro e da SIDA gratuitamente.

Moe levanta-se e coloca as mãos nos ombros de Thomas.

MOE

Thomas, não é só nas doenças. Os "nanoides" estão livres de arrumar tudo que esteja danificado no hospedeiro, até a própria morte.

6 de mai de 2008

pág. 10

12. EXT. SEDE LORENZ INC. - DIA

Moe está de roupão, calçado com ténis diferentes em cada pé. Abana no ar umas pastas com umas folhas de cálculos à medida que tenta convencer dois seguranças da Lorenz Inc. a deixarem-no entrar pela porta da frente.

Moe

É só para deixar este documentos ao senhor Lorenz. Por favor.
[Gritando] Lorenz! Lorenz! Pára já com os "nanoides", estás enganado. Eles estão à solta...

Os seguranças atiram Moe ao chão, fazendo com que caia de costas.

Segurança

Fora daqui, antes que chame a policia. Ou quer fazer uma visita ao meu gabinete ali no beco e falar com o meu punho?

Thomas entra em plano e segura o braço ao segurança e Rita ajuda a levantar Moe.

Thomas

Eu acho que o senhor não vai querer levar um processo jurídico por um advogado como eu. Acredite!

Rita

Moe, estás bem? Eles magoaram-te?

Moe

Calma Rita, eu estou bem. Só o meu orgulho cientista está a doer.

Rita

Porque estás aqui? Assim vestido, a tentar falar com o sacana do velho?

Moe

Eles estão à solta, Rita! À solta! Eu consegui provar, tenho aqui as provas nos meu cálculos.

Moe apanha do chão os papéis, levanta o braço direccionado a Thomas, exibindo as suas provas.